Logotipo Site Ana Sousa
Search
Close this search box.

A Influência da Alimentação no Corpo e Mente

Trabalhar o corpo e mente é crucial para uma pratioca de bem estar. Descobre como trabalhar a alimentação e o teu bem estar neste artigo.
Mind and Body

Certamente que já ouviu a célebre frase “Somos o que comemos!”.  

No entanto, pode ainda não ter parado para refletir que a alimentação não tem apenas impacto na saúde física, mas também na saúde mental.

Uma alimentação saudável e equilibrada contribui para o bom funcionamento do cérebro, estimula a memória, ajuda na concentração e ainda na recuperação de sintomas de perturbações mentais como, por exemplo, a ansiedade e a depressão.

A influência da alimentação no bem estar mental

Além do que já foi dito, seguir uma alimentação equilibrada rica em frutas, vegetais, carnes brancas, peixe e cereais proporciona-lhe uma maior sensação de bem-estar, melhorando o seu humor e aumentando a sua energia. No entanto, nem sempre é fácil manter uma alimentação equilibrada na correria do dia-a-dia.

Quantas vezes já olhou para o relógio e pensou “Ainda tenho mil e uma tarefas por fazer, por isso, vou comer algo rápido”, passando assim uma refeição principal à frente. Nestas situações não deve desvalorizar a ajuda de um nutricionista.

Este profissional vai ajuda-lo(a) a ter um plano alimentar personalizado ás suas necessidades e de modo a que consiga ingerir todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento dos órgãos.

Sem margem para dúvidas podemos afirmar que a alimentação e a saúde andam de mãos dadas.

Quando a psicologia é fundamental?

Mas, nem todos os casos são resolvidos com uma alimentação saudável e equilibrada. Por exemplo, na suspeita de depressão e ansiedade, embora esteja comprovado que uma alimentação equilibrada é fundamental na recuperação dos sintomas, deve recorrer o quanto antes a um psicólogo.

Nestes casos, este profissional vai ajudá-lo(a) entre outros aspetos a aceitar e a tolerar as emoções negativas frequentes tanto na depressão como na ansiedade.

Uma má regulação das emoções pode estar na origem da fome emocional, isto é, a pessoa come porque está triste, ansioso(a) ou stressado(a).

Nestes casos, a comida é a forma que você tem para aliviar as suas emoções de forma instantânea e fugir das sensações físicas desagradáveis que estas lhe podem causar.

Nas sessões de psicologia vai aprender um conjunto de estratégias regulatórios adaptativas para lidar com as suas emoções, reduzindo assim o impacto dos sintomas no seu funcionamento diário e, ao mesmo tempo, contribuindo para uma melhor qualidade de vida e de bem-estar físico e psicológico

Neste artigo vou deixar algumas dicas úteis que pode utilizar sempre que esteja perante um episódio de fome emocional.

Tem épisodios de fome emocional?

O que fazer?

1º Identifique a sua fome

Primeiro – Ter a consciência de que a sua fome não é física, mas sim emocional. Para isso, deve perguntar a si mesmo (a):

  • “Porque estou eu a comer?”.

Esta pergunta vai ajuda-lo(a) a tomar consciência se está a comer emocionalmente ou não.

2º Quais as emoções que estão na origem

Tenha em atenção quais são as emoções que lhe despoletam a vontade de comer (Ex. tristeza, ansiedade, raiva). Ao identificar quais são vai tornar-se mais fácil encontrar estratégias adaptativas para lidar com elas como, por exemplo, o exercício físico, o mindfulness e a meditação.

Além do mais, quando estiver a prever que vai ter um episódio de fome emocional tente descentrar os seus pensamentos da comida através de uma atividade que goste (Ex: pintura).

3º Tenha na dispensa alimentos mais saudáveis

Tenha na despensa alimentos mais saudáveis, assim, se não conseguir controlar a sua fome emocional pelo menos não vai ingerir alimentos tão calóricos.

4º Tenha uma boa rotina de Sono

Outro fator que pode influenciar a fome emocional é a sua rotina de sono. Se está numa fase em que não anda a descansar o suficiente isso pode aumentar a sua vontade por alimentos mais calóricos. Isto acontece para tentar repor a sua energia.

5º Pratique exercicio fisico

Por fim, o exercício físico bem como todos os exercícios de relaxamento podem ajuda-lo(a) a gerir melhor o seu stress e a sua ansiedade. Consequentemente controlar melhor a sua fome emocional.

Espero ter ajudado com estas dicas!

Se suspeita que está perante uma das situações descritas anteriormente não hesite em procurar profissionais de saúde especializados que o consigam ajudar.

Preencha o Questionário

Tambem vai gostar:

Siga-nos

Olá

O meu nome é Ana Sousa, sou nutricionista e acredito que a alimentação saudável traduz-se num estilo de vida que promove o nosso bem-estar físico e psícologico e que a melhor maneira de garantir saúde e bem-estar não é a partir de dietas, mas pela adoção de bons hábitos a partir da reeducação alimentar.

Não podes perder!

Preenche os dados para receberes este ebook gratuito!