A Gestão das Emoções na Perda Peso é Fundamental

Porque, afinal, é tão difícil perder peso? Entre outros motivos, porque as pessoas ainda acreditam em falsos milagres, como alimentos superpoderosos, suplementos, medicamentos, chás milagrosos, dietas muito restritivas. Quem aposta na realidade colhe os benefícios no final!

Não vá para as festas de estomago vazio

No artigo sobre  “Como as Emoções Podem Interferir no Emagrecimento”, abordou-se a dificuldade que, por vezes, temos em controlar a nossa fome. Nesse mesmo artigo referiu-se que, ainda, que essa dificuldade pode estar relacionada com o prazer de comer ou ser apenas um mecanismo desadaptativo para lidar com as emoções ou sentimentos quer sejam positivos ou negativos. 

Pode-se afirmar que o problema alimentar é muitas vezes despoletado por problemas emocionais pelo que a ajude de um nutricionista é fundamental, mas não é por si só suficiente. É tambem muito importante organizar as “gavetas emocionais” para que depois sejam capazes de cumprir o plano alimentar recomendado pelo nutricionista.

As emoções interferem na perda de peso

As emoções e a Perda de Peso

É fundamental entender que a fome emocional apenas alivia temporariamente o mal-estar provocado por algumas emoções ou sentimentos, ou seja, a comida funciona como um consolo temporário. Nestes casos, devem aprender a usar estratégias adaptativas para lidar com as emoções em vez de procurar conforto na comida. 

Se esta fome acontecer esporadicamente não tem problemas para a saúde das pessoas, mas se começar a ser rotina pode desencadear vários problemas de peso. Por isso, tanto o nutricionista como o psicólogo têm papéis fundamentais neste processo.

3 Estratégias Adaptativas para Combater a Fome Emocional

Existem algumas estratégias que podem ser usadas para controlar a fome emocional. E é sobre essas mesmas estratégias que vamos falar. Vou explicar sucintamente cada uma delas de modo a que possam ter ferramentas para começar a lidar com a fome emocional e perder peso.

1. Identique a Causa da sua Fome

O primeiro passo é entender a diferença entre fome emocional e a necessidade de ingerirmos alimentos para o bom funcionamento do organismo, ou seja, fome física. Seguidamente, é necessário terem consciência do que acontece antes e durante um episódio de fome emocional, isto é,:

  • A vontade de comer surgiu quando está stressado?
  • Quando está cansado?
  • Ocorreu após uma discussão?”

É importante identificar o gatilho que leva a ingerir os alimentos para saciar o seu cérebro e não o seu estômago.

2. Gerir a Ansiedade

Outra estratégia consiste em aprender a gerir a ansiedade. Como se faz isso?

Com uma boa organização e planeamento do vosso dia-a-dia, aprendendo estratégias adaptativas para a resolução de problemas e de conflitos, como por exemplo:

  • Relaxamento Muscular Progressivo
  • Mindfulness
  • Respiração Diafragmática
  • Pratica de atividade física regular
  • Dormir bem para evitar cansaço extremo
  • Fazer varias e pequenas refeições durante o dia para evitar a fome excessiva
  • Aprenderem a identificar as causas da ansiedade.

3. Aprenda a viver com as suas emoções

Torna-se também importante aprender estratégias de regulação emocional. Ninguém gosta de sentir-se triste, ansioso ou zangado. No entanto, estas emoções normalmente têm uma função e uma razão para acontecerem, por isso, cabe-nos aprender a lidar com elas de forma saudável. 

Muitas vezes, para lidar com essas emoções procura-se consolo nos alimentos. Mas será que é a melhor estratégia? Ou será que depois ficam revoltados e ainda mais tristes? Se existe algum problema por detrás dessas emoções o melhor é resolvê-lo de uma vez por todas. 

Se não conseguir fazê-lo sozinha procure ajuda. Existem profissionais de saúde especializados para ajudar, como por exemplo, os psicólogos. O mais importante é não desistir e ter iniciativa para dar o primeiro passo e resolver a situação

A alimentação e a mente

Faça com que as suas emoções sejam um aliado na sua perda de peso

De forma geral, é fundamental que olha para o interior e fazer uma retrospeção do que estamos a sentir. Façam perguntas como:

  • “O que me preocupa?”
  • “Estou stressado com o trabalho?”
  • “Estou triste com alguma situação?”

Perceber qual a emoção que está a consolar com a comida é fundamental para avançarem e saírem do ciclo vicioso em que se encontram.

Coloque em prática estas dicas e controle a sua fome emocional! 

Se sentir duvidas ou dificuldades entre em contacto connosco que nós ajudamos.

Entre em Contacto!

Adoravamos ouvir as suas questões.

Conheça a Autora

Eduarda Figueiras
Eduarda Figueiras

Sou Psicologa Junior e estou aqui para ajudá-la a sentir-se bem consigo mesmo, melhorar sua autoestima e autoconfiança, para que se sinta bem e feliz consigo mesma.

Subscreva a Newsletter

Receba receitas e dicas de alimentação saudáve no seu email