Como combater a GORDURA VISCERAL?

Gordura Visceral e efeitos na saúde

A gordura visceral é a gordura que se acumula na cavidade abdominal (barriga), entre os vários órgãos que aí se situam, como o estômago, fígado e pâncreas.

Embora tenha uma função importante no nosso organismo – proteger os órgãos e mante-los no seu lugar dentro do abdómen -, quando os seus níveis ultrapassam aquilo que é considerado saudável, pode ser perigosa para a saúde.

A gordura visceral não é visível e, por isso, muitas vezes nem sabemos que a temos em excesso, por isso para se diagnosticar, poderá ser feita uma leitura de bioimpedância da sua massa gorda para calcular a percentagem que corresponde à gordura visceral ou através da medição do perímetro abdominal.

A presença de uma barriga “saliente” é evidência de que há gordura visceral acumulada. O excesso deste tipo de gordura leva a uma predisposição para várias doenças, tais como: diabetes tipo 2, hipercolesterolémia, hipertensão, entre outras.

Quanto maior a quantidade de gordura visceral acumulada, maior é o risco de:

  • Enfarte do miocárdio (ataque cardíaco)
  • Doença cardíaca
  • Aumento da resistência à insulina – provoca um aumento dos níveis de açúcar no sangue, a glicose), pré-diabetes ou até diabetes tipo 2
  • Pressão arterial elevada
  • Acidente vascular cerebral
  • Cancro colorretal e da mama
  • Doença de Alzheimer
  • Níveis mais elevados de colesterol mau (LDL) e total e mais baixos de colesterol bom (HDL)

Para diminuir ou eliminar o excesso de gordura visceral, o segredo está, essencialmente, na modificação de hábitos alimentares e no exercício físico, tais como:

– Elimine alimentos que contenham gorduras TRANS: este tipo de gordura está presente em alimentos embalados e processados, leia atentamente os rótulos dos ingredientes;

– Evite alimentos açucarados: elimine açúcares refinados (bolos, bolachas, refrigerantes,…);

– Faça uma alimentação rica em fibra e proteína: uma dieta rica em fibra (flocos de aveia, vegetais, …) e em proteína (ovo, carne, peixe, leguminosas, …) leva a uma diminuição da sensação de fome e diminui a absorção;

– Pratique exercício físico: independentemente do tipo de exercício (cardio ou musculação) é necessário definir uma periodicidade semanal e intensidade suficientes para atingir o objetivo;

– Não beba álcool: reduza ou elimine a ingestão de álcool para um melhor resultado;

– Reduza os níveis de stress: procure ter um descanso adequado durante a noite e aprenda a fazer uma boa gestão do stress, experimentando técnicas de relaxamento (Yoga, Pilates, descontrair com a família, terapia de relaxamento, etc).

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a Newsletter

Receba receitas e dicas de alimentação saudáve no seu email